quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Quando o Líder se depara Passeando...



Por onde começam as mudanças necessárias? Trazer Mudança para uma organização não é fácil.  John Kotter, especialista em liderança da Escola de Negócios de Harvard, estudou como as melhores organizações realmente "fazem" uma mudança significativa. Ele sugere que a mudança útil tende a ser associada com um processo “multi-etapas”, que gera força e motivação suficiente para vencer a inércia, os obstáculos, e a resistência inevitável.

Em seu livro Liderando Mudança, ele descreve esse um processo de oito etapas: 1-Estabelecer um senso de urgência; 2-Criar uma coalizão gestora; 3- Desenvolver uma visão estratégia; 4-Comunicar a visão de mudança; 5-Capacitar ação ampla; 6-Gerar vitórias em curto prazo; 7-Consolidar vitórias e produzir mais mudança; 8-Ancorar novas abordagens na cultura.
Na opinião de Kotter as três primeiras etapas são necessárias para descongelar um status quo endurecido. Já nas etapas de 4 até 7 deve-se introduzir uma série de novas práticas, ficando a última etapa para as mudanças na cultura da organização.
Na maioria das vezes o equívoco acontece porque começamos tudo pela etapa quatro: “comunicar a visão”. Mas Kotter adverte que as etapas 4, 5, 6 e as seguintes não terão sucesso a não ser que os passos 1,2 e 3 sejam implementados. Sem as três primeiras etapas, raramente existe base suficientemente sólida o para provocar uma mudança duradoura.
Pois bem, a primeira delas é “Estabelecer o Senso de Urgência”. Estabelecer um senso de urgência significa que as pessoas devem reconhecer que há um problema real. Muitas vezes se nega o problema. Entretanto, o primeiro passo para a cura é reconhecer que se está doente... Se não reconhecemos que há enfermidade na organização, a passividade silenciosa será a grande amiga da falta de mudança necessária.
A segunda é a “Criar uma Coalizão Gestora”. É igualmente importante ter um grupo diversificado, um “conjunto de forças”, para desenvolver e planejar as possíveis mudanças. Infelizmente, se leva algum tempo para perceber a importância disso. Um grupo que trabalha em conjunto pode realizar e gerir muito mais do que os indivíduos poderiam fazer separadamente. O benefício da solidariedade gestora em uma organização é imensurável. Ela também ajuda a remover os obstáculos à mudança, e a trazer uma nova atitude saudável à medida que novos desafios são enfrentados.
E a terceira é “Desenvolver uma Visão Estratégica”. Uma visão estratégica deve ser desenvolvida como uma maneira de pensar, e fazer todos pensarem o mesmo com você. Pensar estrategicamente é fruto de pedagogia. Ensine como que chega no “Xeque Mate”... Se só você tem a visão estratégica ninguém entenderá o que você pensa...
Criar um senso de urgência, coligações orientadoras, e articular tanto uma visão como uma estratégia vão exigir nossos melhores esforços. O líder deve lembrar que o caminho da mudança duradoura não deve ser o caminho menos percorrido. O problema é quando o líder se depara passeando... Alguém já disse que se um líder se vira e não encontra ninguém o seguindo, ele não é líder, ele está simplesmente dando um passeio...