segunda-feira, 15 de julho de 2013

Ser como as Criancinhas...


 

Muitos acreditam que quando o Jesus afirmou: “Quem não receber o Reino de Deus como um pequenino, não entrará nele” (Marcos 10:13-16), estava falando da “pureza” e “inocência” das crianças... Ora, por causa do Reino de Deus, os discípulos deixaram tudo para seguir Jesus, procuraram a presença de Deus em Cristo, desejando fazer parte do seu Reino restaurador. Mas quem disse que eles foram puros e inocentes? Nem os discípulos, nem ninguém jamais será totalmente puro ou profundamente inocente nessa existência.

Qual a interpretação justa para aquela afirmação de Jesus? Isso certamente corresponde à outra afirmação Sua: “Se não voltardes a ser como as criancinhas, não podereis entrar no Reino do Céu” (Mateus 18,3). Diante dessa declaração, podemos reconhecer que toda criança confia sem julgar, e não pode viver sem confiar nos que estão à sua volta, pois a sua confiança não é uma virtude, e sim uma realidade vital. É essa constatação que resume uma realidade de sobrevivência que é: A criança não sobreviverá sozinha, pois é totalmente dependente de quem a cuida.

Então, o que é ser como um pequenino? É ser totalmente DEPENDENTE para sobreviver! Afinal, o ser humano não sobrevive se for abandonado. Para tanto, entrar no Reino da vida vivida com Vida é ser como um pequenino e ter a capacidade de depender do Cuidado do Criador.

A super-babá Jo Frost (a “Supernanny” da TV), que garante colocar nos “eixos” os mais peraltas pequeninos, passou duas semanas com a família Young, no ano de 2005, ensinando todas as técnicas necessárias aos pais para a fazerem os filhos se comportarem bem e a indicando a melhor forma de reabilitá-los quando fossem desobedientes. Dois anos depois, pequeno de três anos ateou fogo na casa, usando o acendedor do fogão. Bombeiros afirmaram que ninguém cuidava das crianças naquele momento, já que, ao que tudo indica, o fogo foi causado pelo filho mais novo, que queimou as cortinas. Ele dependia de alguém...

Muitos de nós testemunhamos através da imprensa, alguns casos de abandono de recém-nascidos no nosso país. Um deles foi em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, onde a criança estava em uma lata de lixo, próxima a um Pronto-Socorro e Maternidade. Ela foi encontrada por um porteiro do hospital, que afirma ter visto uma mulher de calça jeans e blusa rosa colocar um embrulho no lixo. O recém-nascido foi retirado da lixeira ainda com sinais da placenta. Ele Dependia de alguém...

Também um recém-nascido ainda com o cordão umbilical foi encontrado numa área de mata atlântica no município de Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, por dois homens que cortavam lenha no local. A criança, que apresentava dificuldade de respiração e tinha o corpo completamente coberto de picadas de insetos, quando foi levada a uma maternidade do município. Ele dependia de alguém...

E você, a quem tem abandonado? Ou, quem tem abandonado você?

As criancinhas continuam nos ensinando que além de não sermos os “puros” e os “inocentes”, continuamos sem acolher aqueles que dependem de nossa ajuda.

A verdade é que, infelizmente, não nos damos conta que somos nós os DEPENDENTES da história... Precisamos de um Deus que não nos abandona nunca... E ELE CUIDA! Acredite!

Seja como uma criança diante DELE deixe a arrogância de lado e entre no Reino da Vida!