sexta-feira, 19 de abril de 2013

Com ELE não passará de um dia...




Conta-se que no Canadá em um vilarejo na costa de New Bruswick, dois adolescentes chamados Damian e Danny, ambos com dezesseis anos, resolveram dar uma caminhada em uma das trilhas da floresta próxima à aldeia em um ensolarado dia de agosto.
Nunca lhes passou pela cabeça que pudesse existir qualquer perigo em andar por aquelas trilhas, mas não demorou para que se achassem envolvidos nas mais aterradoras três horas de suas vidas. 
Na maioria das vezes a vida é assim. As coisas parecem estar bem tranquilas até que, de repente, sem nenhum aviso, acontece algo sério ou surge um mal grave que muda tudo. “Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará”.  (Provérbios 27:1).
Danny e Damian naquela caminhada encontraram um ninho de águia-pescadora sobre uma árvore por entre um campo de amoreiras, e pararam para observá-lo. Eles notaram que tudo estava estranhamente quieto; quieto até demais... Quando olharam para trás, a menos de dez metros deles havia um enorme urso negro! Aquilo causou um imenso susto nos jovens, mas mantiveram a calma, pois haviam lido que os ursos negros canadenses costumam evitar as pessoas. Assim, começaram então a se afastar vagarosamente.
Foi quando, de repente, o urso começou a correr em direção a eles. Os rapazes sabiam que é impossível se escapar de um urso correndo, e bem no lugar onde estavam não havia uma árvore baixa para que pudessem subir. Valendo-se de um último recurso, usado por caçadores em situações semelhantes no Canadá, os dois se jogaram no chão e fingiram estar mortos, encolhendo-se para protegerem os braços e as pernas.
Eles esperavam que o urso perdesse o interesse neles e fosse embora. Porém, por alguma razão desconhecida, o urso não estava reagindo como a maioria dos ursos negros. Ele andou ao redor dos rapazes, cheirou-os, ergueu-se sobre as patas traseiras, deu tapas nos arbustos que havia atrás deles, e até mordeu o sapato de um deles.
Depois de algum tempo, já parecia ter perdido o interesse nos rapazes; foi o suficiente para que os dois saíssem em disparada, tentando fugir. Mas aquilo despertou novamente o interesse do urso, que passou a persegui-los. O urso estava quase alcançando os dois, quando novamente resolveram fingir que estavam mortos. Mais uma vez o urso andou ao redor deles, e voltou a se erguer sobre as patas traseiras. Os dois amigos, petrificados de medo, podiam escutar a respiração do urso próximo a eles. O tempo parecia haver parado, mas na verdade algumas horas se passaram.
O que se seguiu foi a pior parte. O urso cheirou Damian e depois Danny. Voltando para Damian, enfiou seu focinho por debaixo do braço do rapaz e tentou virá-lo de barriga para cima. Damian ficou firme, todo encolhido. O urso voltou-se para Danny. Arrancou sua bota, lambeu sua perna e calcanhar, e então mordeu o calcanhar de Danny! Então passou a lamber o cotovelo dele, e resolveu mastigar um pouco a bota de borracha. Voltou-se outra vez para Damian deu-lhe várias mordidas nas costas e nádegas, fazendo o mesmo com Danny... Então, finalmente o urso se afastou.
Os dois rapazes, pouco feridos, puseram-se em pé. Achando que o urso poderia voltar a persegui-los, não hesitaram em chegar até o fim da trilha e encontrar um abrigo seguro. Desejo contar a você algo muito importante sobre Danny e Damian.  Conta-se que enquanto o urso os atacava, eles oravam ao Senhor, pedindo por ajuda.
O que está angustiando você agora pode ser enfrentado com uma grande ajuda. Corra, ou conheça o Senhor da Fé de Danny e Damian. ELE irá fazer você lembrar que a angustia não passará de um dia junto a ELE... “Invoca-me no dia da angústia; Eu te livrarei, e tu Me glorificarás.”. (Salmo 50:15).