quinta-feira, 8 de novembro de 2012

“Erro Crasso”...


 
 
Existe um conflito conceitual entre a Arrogância e a Autoconfiança por parte de alguns líderes quando decidem suas posturas diante de um desafio... Na verdade há uma diferença bem explícita entre alguém autoconfiante e outro arrogante, pois o autoconfiante, sucessivamente, vê em suas forças a oportunidade de compartilhar algo de bom com o outro, enquanto o arrogante usa suas “forças” somente para se destacar dos demais, sem ao menos se importar com o bem estar comum, notadamente preocupado em massagear o seu próprio ego.

Marco Licínio Crasso (115 a.C. – 53 a.C.) foi um patrício, general e político romano do fim da Antiga República Romana, mais conhecido como Crasso, o Triúnviro. Era possivelmente o homem mais rico de Roma em seu tempo. Em um pacto secreto com Júlio César e Pompeu Magno, formou o chamado primeiro Triunvirato do Império Romano, para juntos, ficarem com o poder de Roma.

Contudo, Crasso tinha inveja da glória e popularidade dos seus colegas triúnviros Júlio César e Pompeu Magno. Crasso sabia muito bem que para chegar ao status de seus colegas precisaria de vitórias militares e de conquistas de novos territórios para Roma. Apesar da sua notável riqueza, e mesmo não sendo um dedicado militar, ansiava pela glória dos grandes conquistadores. Por isso, arriscadamente liderou uma campanha de invasão contra o Império Parta, em 53 a.C. (região do Oriente Médio e Ásia Central).

Acreditando ser imbatível e bem superior que o oponente, não planejou sua estratégia devidamente, cometendo uma série de falhas grosseiras. Com seu exército, numericamente quatro vezes maior que do inimigo, confiou demais na sua superioridade e abandonou as tradicionais táticas militares romanas. Em seu árduo desejo de chegar logo ao opositor, atacou-o cortando caminho por um vale estreito e de pouca visibilidade. Assim, as saídas do vale foram ocupadas pelos soldados partos que dizimaram o exército romano, levando depois a morte o próprio Crasso.

A derrota de Crasso foi uma das piores derrotas militares da história romana. Este episódio passou para a história como uma menção às falhas grosseiras do planejamento e suas consequências trágicas, por causa da ARROGÂNCIA de um líder. Hoje, quando isso acontece, ouvimos a expressão: Foi cometido um “Erro Crasso”...

Uma postura Arrogante, com uma visão enrijecida e fechada a opiniões, às vezes por acreditar demasiadamente em um ideal ou em sua capacidade, pode levar qualquer um a cometer um “Erro Crasso”... Já a Autoconfiança é confiar em si mesmo mantendo a humildade, que não necessariamente significa falta de segurança ou fraqueza.

Na hora de planejar, antes de tudo olhe para sua postura... Busque entender se você está sendo Autoconfiante ou Arrogante... O importante em entender claramente a sua atitude à frente de sua equipe, de seu grupo, de sua comunidade, diante do seu desafio futuro.

Alguém já disse que a “Autoconfiança é rir com alegria e a Arrogância é rir com desprezo”... Mas quem ri por último, certamente ri por não ter cometido um “Erro Crasso”...