sábado, 17 de dezembro de 2011

Necessária Escolha...




A diferença entre visitar a igreja e ser membro da igreja está no comprometimento. Visitantes são espectadores que ficam à parte; membros são os que se envolvem com o ministério da igreja. Visitantes “absorvem”; membros contribuem. Visitantes se beneficiam do que a igreja traz, sem participar da responsabilidade da missão.


Infelizmente, muitos de nós crescemos em famílias com relacionamentos rompidos ou difíceis. Então, carecemos das habilidades relacionais necessárias para nutrir uma verdadeira comunhão. Devemos ensinar e ser ensinados a lidar e se relacionar com as outras pessoas.

Entretanto, se estamos cansados de uma comunhão fajuta, o nosso desejo é de viver verdadeiramente o cultivo de uma relação amorosa e sadia, teremos sempre que assumir riscos e fazer algumas escolhas difíceis.

Reconhecemos que algumas características de cultivo sempre serão necessárias para um crescimento saudável e o fortalecimento de qualquer comunidade ou grupo; Igreja ou não.

Não temos por vezes a coragem de falar em meio ao grupo com a franqueza amorosa necessária, enquanto a vida de um irmão ou amigo desmorona ao nosso lado… Muitas comunidades e pequenos grupos permanecem superficiais por terem receio de conflitos. Isso pode trazer uma falsa sensação de paz entre nós. Que engano bobo...

Já a verdadeira comunhão, seja no casal, seja na amizade, seja na igreja, no grupo, depende de franqueza. A franqueza nos ajuda a crescermos em intimidade uns para com os outros, ao enfrentar e resolver nossas diferenças.

As relações exigem franqueza e amor. A franqueza não é uma licença para dizer o que queremos, onde queremos e sempre que queremos. Não é grosseria. Palavras impensadas deixam feridas permanentes. Somos convidados pelo Apóstolo Paulo a tratarmos uns aos outros com o carinho e a sinceridade que merecem os que se relacionam verdadeiramente. (Gl 6:9-10).

Contudo, o orgulho obstrui a Graça de Deus em nossa vida, nos impede de crescer, de nos transformar, de nos sarar e ajudar os outros. Devemos desenvolver a humildade de algumas maneiras práticas entre nós: admitindo nossas fraquezas, sendo paciente com a fraqueza dos outros, estando abertos para a admoestação e pondo os outros em nossa atenção pessoal. As pessoas podem ter carências emocionais, inseguranças profundas, e inabilidades sociais. Mas a nossa tolerância deve ser exercitada para com elas sempre de forma generosa.

Relacionamentos também exigem tempo. Devemos desenvolver o hábito de estarmos juntos. Se nós quisermos cultivar uma comunhão autêntica, isso implicará em estarmos juntos mesmo quando não tenhamos vontade, porque acreditamos que é sumariamente importante para nós. Viver em comunidade requer investimento de tempo; pois isso nos trará o hábito de estarmos juntos.

Se com franqueza, se com amor, se com humildade, se com tempo, fique certo de que tudo não passa de uma Necessária Escolha...