sábado, 1 de outubro de 2011

Saúde na “Receita de Bolo”




Não existe apenas uma “receita de bolo” para as diversas situações de crise nos nossos relacionamentos pessoais. Entretanto, sabemos que uma maneira de estabelecer uma ética pessoal de se relacionar de forma saudavel é possivel, se adotarmos algumas atitudes e torná-las um hábito em nossas vidas.
Poderia apontar alguns ingredientes da “receita” para levarmos ao forno o “bolo” que poderia ser mais saboroso... Para tanto, penso que três desses ingredientes seriam indispensáveis para o sucesso do sabor final. A partir destes três elementos podemos nos transformar em ótimos confeiterios, cujos bolos adoçariam muitas relações...
O primeiro desses ingredientes diria respeito à recuperação e restauração da nossa dignidade como seres humanos. Precisamos compreender que somos limitados como humanos e que ainda assim temos valor. O problema é que temos ideias equivocadas sobre o nosso valor enquanto seres humanos e alvos do amor de nosso Criador. Esse equívoco pode atingir diretamente nossa auto-estima até destruí-la... Podemos ir de um lado ao outro atribuindo a nós mesmos um valor superior ou muito inferior ao verdadeiro valor que temos; esse que só conhecemos, conhecendo o Deus que nos conhece.
Como disse um pensador de nossos dias: “A maior expressão de nossa condição humana é a capacidade que temos de dar e receber relacionamentos. Isso está bem no âmago de nossa personalidade. O problema é que estamos perdidos, desorientados e cegos”.
O segundo ingrediente é descobrir que somos aceitos por alguém. Apesar de às vezes estarmos perdidos, quem nos aceita vem ao nosso encontro. Quem nos aceita, nos ama como nós somos, todavia, se recusa a nos deixar do mesmo jeito. Nos quer melhor, mais maduros. È disso que Jesus fala quando aponta para o amor que devemos ter por nós mesmo e pelo outro semelhantemente.
E o terceiro ingrediente é ser capaz de celebrar a alegria de viver apesar dos problemas. Existem duas razões para que haja uma grande festa. Estar junto é a primeira delas. Ninguém celebra nada sozinho. A celebração só acontece no encontro; na alegria da chegada. A segunda é a entrega. Nossa atitude se assemelha muito mais a um menino teimoso que não quer aceitar o conselho de seus pais para que faça a escolha pelo que é melhor para a sua vida. Entregar-se é render-se ao plano que Deus tem para cada um e se alegrar com ele. Quando alguém se rende e se quebranta diante dEle, há grande manifestação de alegria. Isso posso garantir!
Quer garantir saúde na sua “receita de bolo”? Então, não esqueça de acrescentar na receita: Aceite-se, seja aceito e celebre a vida!