sexta-feira, 31 de agosto de 2012

“Inteligentes” e “Iluminados”






 

 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
Atualmente, muitas pessoas falam sobre competência. Fala-se até em “meta-competência” nestes tempos de competitividade profissional... Sem dúvida o conhecimento quando é assimilado e posto em prática torna-se uma competência, assim como, quando o talentos e a habilidade se abraçam, também temos a competência como resultado... No entanto, as competências são reconhecidas comumente pela capacidade que temos de tomar decisões, de resolver e administrar problemas. Afinal, ser competente é saber fazer e fazer bem, avaliando isso honestamente.
Existem aqueles que confundem competência com profissionalismo, e tarefas feitas sem seriedade e competência com amadorismo. Quero dizer que aos nossos olhos podemos estar nos vendo como “competentes e profissionais”, mas na verdade podemos ser os incompetentes e despreparados da história...
Gosto bastante de uma narrativa conhecida de muitos, que fala de um açougueiro estava em sua loja e ficou surpreso quando um cachorro entrou singularmente no estabelecimento. Ele espantou o cachorro, mas logo o cãozinho voltou. Novamente ele tentou espantá-lo, foi quando viu que o animal trazia um bilhete na boca. Ele pegou o bilhete e leu: - O senhor pode me mandar doze salsichas e uma perna de carneiro, por favor? Assinado... Ele olhou assustado e viu que dentro da boca do cachorro havia uma nota de 50 Reais. Então, pegou o dinheiro, separou as salsichas e a perna de carneiro, colocou numa embalagem plástica, junto com o troco, e pôs na boca do cachorro...
O açougueiro estava impressionado e como já era mesmo hora de fechar o açougue, decidiu seguir o animal ao seu destino. O cachorro desceu a rua, quando chegou em um cruzamento deixou a bolsa no chão, pulou e apertou o botão para fechar o sinal. Esperou pacientemente com o saco na boca até que o sinal fechasse e pudesse atravessar a rua.
O açougueiro e o cão foram caminhando pela rua, até que o cão parou em uma casa e pôs as compras na calçada. Então, voltou um pouco, correu e se atirou contra a porta. Tornou a fazer isso algumas vezes, mas ninguém respondeu na casa. Então, o cachorro circundou a casa, pulou um muro baixo, foi até a janela, e começou a bater com a cabeça no vidro várias vezes.
Depois disso, caminhou de volta para a porta principal, e foi quando alguém abriu a porta e começou a bater e agredir o cachorro... O açougueiro correu até esta pessoa e o impediu, dizendo: - Por Deus do Céu, o que você está fazendo? Esse seu cão é um gênio! A pessoa respondeu: - Um gênio? Esta já é a segunda vez na semana que este estúpido esquece a chave!
Destacamos algumas lições nesta ilustração. Uma delas é a certeza de que você pode continuar excedendo às expectativas, mas para os olhos de alguns, você estará sempre abaixo do esperado, e sendo considerado um incompetente... A outra é que muita gente confunde amadorismo com incompetência, ou que profissionalismo é sinônimo de competência. Contudo, podemos fazer coisas com amadorismo (coisas feitas por amor) usando de muito conhecimento e competência...
Alguém já disse certa vez que quem conhece os outros é: Inteligente. Entretanto, mais que isso, eu defendo a ideia de que quem conhece a si mesmo é: Iluminado... Esses, os “Inteligentes” e “Iluminados” se destacam no que fazem, mas nem sempre são chamados de “competentes” e “profissionais” na história...