quinta-feira, 11 de março de 2010

Uma pergunta crônica sobre Liderança


Uma pergunta crônica sobre liderança é: A liderança é nata ou se aprende? Bem, existem correntes de pensadores e estudiosos sobre o tema que apresentam visões diferentes sobre o gênesis da liderança. Pertenço ao grupo que considera a liderança nata. E que apesar de poder ser desenvolvida em todos, aqueles que têm vocação para tal sempre serão os mais destacados, requisitados e promissores por sua eficiência e eficácia na arte de liderar.

Uma ilustração que sempre uso ao trabalhar o tema, é a de trazer a nossa memória a imagem de crianças muito pequenas brincando em um parque de diversões. Sempre identificamos no meio delas aquela que conduz o grupo, que leva as outras crianças para os brinquedos de seu interesse e conserva carismaticamente os pequeninos a sua volta.

Peter Drucker, o “pai da administração moderna”, há décadas lançou esta pergunta na atmosfera dos negócios. Tornar-se um líder não necessariamente vem a ser um bom líder. Por mais que se repita esta frase, fico impressionado como as organizações não a levam a sério na hora de preparar e selecionar seus futuros líderes.

Centenas de publicações apresentam as dificuldades que as organizações estão enfrentando por elencar líderes fracos e despreparados para conduzir grandes projetos e equipes. Esses mesmos líderes acabam por não reconhecer suas dificuldades e fraquezas, e não modificam seu comportamento... O resultado desta prática tem por promover algumas situações: O descrédito do líder em questão, a divisão das forças propulsoras de mudanças, o enrugamentos organizacional e seu possível colapso.

Drucker dizia que se você não é um líder nato (são poucos os que geralmente o sabem que são) o melhor caminho é procurar qualificação e, sim, aprender a liderar, da mesma forma que você aprendeu matemática ou português. A qualificação também de nada adianta se você não tiver atitude de líder. E isso é nato!

O próprio Drucker deu a dica das oito atitudes essenciais de um bom líder: Perguntar sobre as providências a serem necessariamente tomadas; Buscar as coisas certas para a organização; Ter um plano de ação claro; Não fugir das responsabilidades; Ser um bom comunicador; Ter foco em oportunidades, não em problemas; Transformar as reuniões em acontecimentos produtivos; Usar o pronome pessoal “nós” e evitar o “eu”.

Lembre-se que quando Deus chamou o povo Hebreu para sair do Egito, Ele não gritou para todos: Saiam daí!!! Pelo contrário, separou um grande e preparado líder e lhe deu essa missão. Moisés a cumpriu brilhantemente.

Portanto, se você é um líder ou deseja ser um líder, observe sua atitude, busque crescimento e qualificação, sempre!