sexta-feira, 26 de março de 2010

Beijando a Felicidade


Existem as coisas que queremos fazer e não devemos, coisas que devemos fazer, mas não podemos, e as coisas que podemos fazer, mas não queremos... A busca da felicidade é algo que está na espiritualidade desta ação. O que queremos, devemos e podemos fazer nem sempre está alinhado, e sabemos bem o que nos impede a fazer as três coisas ao mesmo tempo. Um problema patrimônio do coração humano, é que na maioria das vezes, as três ações não acontecem juntas no decorrer da vida.
O maior desejo humano é o da felicidade. Mesmo que as pessoas digam que, o que todo mundo quer é dinheiro, fama e poder, o que está por de traz disso é a convicção de que essas coisas possam trazer a tão desejada felicidade.
Então, o que trás felicidade ao ser humano? Sabe-se que ao longo da história do pensamento humano, a felicidade pôde ser vista por três ângulos diferentes. O prazer, a paz interior e a conquista do sonho.
O prazer é resultado de uma experiência efêmera, e em um mundo que valoriza o princípio hedonista, a felicidade pode ser um sinônimo de prazer. Porém, felicidade não é prazer. Contudo, não há felicidade sem que ela seja prazerosa. Assim, como felicidade não é alegria, também não há felicidade sem alegria. Como parte do nosso aprendizado sabemos que o prazer acontece quando há recompensa, principalmente quando esta é representada pelo reconhecimento que nossas realizações possam produzir, remunerar e trazer poder. Só que a felicidade vai além da recompensa, meus queridos...
Quanto a paz, não me refiro à ausência de guerra, e sim, a paz apesar de todas as coisas. Aquila que alguns chamam de “Shalom”. Na pós-modernidade, temos pouco tempo para sentir paz interior. O mundo nos puxa para longe de nós mesmos, do outro e de Deus. Porém, a felicidade também não é apenas paz interior.

Contudo, pessoas belicosas, estressadas, divididas não são pessoas felizes., mas por vezes, sem o conflito não cresceremos e não nos desenvolveremos. Não nos desenvolvemos em meio a um mar de tranqüilidade... Para crescermos, precisamos da tensão, dos problemas, e isso é a mola da civilização.
Para tanto, a passividade, acomodação, a conformidade, não são amigas da felicidade. Ser feliz é realizar sonhos. Só realizamos sonhos e conquistamos, por meio de planejamento e trabalho. Se você não está feliz com algum projeto pessoal, isso acontece... Entretanto, olhe para o lado... Você pode reconhecer no outro alguém que tem um projeto de precisa de você. Inclusive precisando uma chance para viver.
A grande verdade é que precisamos encontrar nosso propósito de vida, o sentido da nossa existência. Nele, chegaremos muito mais perto de fazermos o que queremos fazer, quando devemos fazer, e podendo fazer. Quando as três coisas acontecerem ao mesmo tempo, aí sim, beijamos a felicidade...