sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

“Zé Pereira”, a “Gorda” e o Futuro...


Cresci sabendo que o Carnaval começava no “sábado de Zé Pereira” e terminava na “terça-feira gorda. Segundo alguns historiadores, o primeiro começou a ser chamado assim ainda no Brasil Colônia, quando grupos de portugueses saíam às ruas rufando grandes tambores e anunciando o começo do reinado de Momo. Esses grupos ficaram conhecidos como “Zés Pereiras”. Já a terça-feira gorda é o último dia de carnaval antes do início da Quaresma – período de 40 dias no qual os cristãos se preparam para a Páscoa - no entanto com a colonização católica portuguesa, segundo essa tradição, não se podia comer carne no período quaresmal, assim, em época de inquisição era melhor não descumprir a norma e só cair nos “prazeres da carne” no máximo até a “quarta-feira de cinzas”...

Creio que o caminho da vida também é assim. Ficamos entre o anúncio dos tambores da alegria de um momento e o medo de deixar o que poderíamos ter feito para o futuro... Entre o que se pode aproveitar do hoje e o que se pode deixar para depois, sem o medo de não haver amanhã. No entanto, o futuro somos nós que promovemos. Parece que a contradição é que é a amiga dos “sem futuro”... Convivem com a querela do carpe diem versos o tempus fugit.

Sabemos que a vida é curta e queremos aproveitá-la enquanto há tempo, porém a vida tem suas regras e necessita de um bom planejamento. Sem planejamento não se chega a lugar nenhum. O carpe diem é bom para muita gente, mas só funciona para alguns. Quem tem essa filosofia vivencial precisa de alguém por trás para bancar o seu futuro incerto, ou custear sua “quaresma imprevisível”. Viver o hoje como se não houvesse amanhã é bonito em filme, mas pode ser o maior colaborador de extinção do mesmo amanhã. A natureza pode explicar isso muito bem...

A verdade é que temos que planejar nossa alegria hoje e desejar o nosso futuro com a mesma responsabilidade, contando que a quaresma é inevitável e que a terça-feira gorda da vida passa. Daqui a dez anos você tem que saber aonde quer chegar; com ou sem o “Zé Pereira”...

Neste ano lembremos que a vida é feita para ser vivida, mas pode ser planejada, re-planejada, re-vivida, re-começada, re-escrita e conquistada. Entre o cantar do galo no “sábado de Zé Pereira” e a “terça-feira gorda” tem “carne” para todo mundo, mas entre as “cinzas” e o próximo carnaval tem muita gordura para ser queimada na busca dos nossos sonhos. Não deixe que o carpe diem acabe com seu futuro, pois se o tempo passa, ele deixa você mais experiente e maduro para saborear outras carnes mais a frente. Quem pensa só no hoje, não saberá muito sobre as manhãs ensolaradas do futuro.

Lembro que na minha Recife mais de um milhão e meio de foliões abrem o carnaval com o bloco “Galo da Madrugada” cantando na manhã do “sábado de Zé Pereira”: “Vem pessoal, vem moçada! Carnaval começa no Galo da Madrugada! / A manhã já vem surgindo, o sol clareia a cidade com os raios de cristal! / E o Galo da Madrugada já esta na rua saudando o carnaval!

O galo vai cantar... Colha o dia!

Mas não tire os olhos do futuro, garanto que você vai querer estar lá.