sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O que é uma “Empresa Viva”?

O que deixaremos para a geração futura? Como estamos traçando nosso caminho para o futuro? Estamos apoiados em que valores para construir o futuro dos que nos sucederão? Essas perguntas têm suas respostas relacionadas com a espiritualidade.
A espiritualidade nas organizações prima pela excelência das pessoas que as compõem. Ela esta diretamente ligada a um permanente envolvimento dos seus executivos, gestores, colaboradores com uma ética comprometida com valores sadios e positivos, bem como com não só com o desenvolvimento econômico da sociedade, mas com a melhoria da qualidade de vida das pessoas envolvidas no processo produtivo e nas prestações de serviço.
Chamamos as empresas que são espiritualmente saudáveis de “Empresas Vivas”. Elas cultivam a espiritualidade no local de trabalho e em seus planejamentos estratégicos. São empresas que:
Que respeitam o meio ambiente, buscando à superação da pobreza, visando fim da marginalidade e ao desenvolvimento sustentável;
Que estão comprometidas com a ética, com o apego a valores saudáveis e virtuosos em suas relações com seus clientes e seus fornecedores pautados na honestidade e na transparência;
Que conseguem harmonia entre a lucratividade e dignidade humana;
Que fazem da competitividade um propósito a mais de parceria;
Que seus enfoques estão na satisfação do cliente como ser humano dotado de uma integridade física, psíquica, emocional e espiritual;
Que estão comprometidas com a sustentabilidade, tendo competência para satisfazer as suas necessidades sem reduzir as oportunidades das gerações futuras;
Que estão preocupadas com o imenso contingente pessoas excluídas do mercado de consumo;
Que combatem a exploração da mão-de-obra, quer seja infantil, quer seja de pessoas que estejam sujeitas a qualquer processo de escravidão;
Que estejam envolvidas com programas de redução do consumo de energia, redução de emissão de resíduos tóxicos, programas de reciclagem, valorização de recursos renováveis, agregação de valor aos produtos e serviços.
Assim a Gestão Viva focaliza diretrizes e ações administrativas – planejamento, controle, direção, alocação recursos – realizadas com o objetivo de proporcionar efeitos sobre a qualidade de vida das pessoas visando ao bem estar comum.
Empresas Vivas são empresas cujos executivos redescobriram o reencantamento da vida e com isso mobilizam atitudes e ações voltadas para a solidariedade, para a inclusão e para a sustentabilidade.
Se considerarmos que a arte da gestão é a competência de liderar pessoas, com vista a uma missão, a preocupação com gestão espiritual da empresa é a competência necessária para motivar pessoas em favor da construção de condições para uma vida melhor, mobilizando recursos, ações e pessoas. A espiritualidade na gestão atua em um ponto de conflito, no qual o encontro entre a realidade e a noção de valor, entre a existência e o que chamamos de sagrado, confere sentido, valor e qualidade à gestão pessoal e organizacional.
Você sabe o que é uma empresa viva?