sábado, 22 de agosto de 2009

Os “Turbinados”...

Tivemos o privilégio de ao final da primeira década do século XXI testemunhar duas imagens fantásticas. O mundo contemplou o nadador Cesar Cielo nadar em 21,08 segundos os 50 metros livre, e tornar-se o homem mais rápido da atualidade nas águas. Recentemente, quase como uma imagem extraterrena, todos também acompanharam pela televisão as imagens do corredor jamaicano Usain Bolt na prova dos 100 metros rasos, quando conquistou a marca de 9,58 segundos. Incrível...!

Até onde vão os limites do ser humano? Esse Limite existe, é claro! Entretanto, não podemos ainda mensurá-lo em todas as áreas. “Turbinar” os limites do corpo com tecnologia esportiva, com a evolução científica ligadas ao esporte, programas de treinamento mais adequados ao atleta são lícitos... Tudo isso parece mais familiar neste momento da civilização. Porém, vive-se o momento em que o limite é apenas um detalhe, e por isso muitos não resistem ao doping... Quem não lembra do corredor canadense Ben Johnson?

E quando o detalhe faz a diferença nas “competições” da vida moderna? Muitos estão em busca dos “turbinamentos” pessoais em outros segmentos. Hoje, mais pessoas normais estão tomando drogas para aumentar a concentração e tentar ficar mais inteligentes... Empresários, gestores, pessoas do mundo dos negócios estão chegando aos quarenta anos e adotando o uso de Ritalina, um remédio indicado para portadores de síndrome de déficit de atenção (TDAH). Mesmo sem sofrer da síndrome usam a droga para aumentar sua capacidade de concentração, pois chegam a trabalhar 12 horas ininterruptas chefiando e liderando dezenas de funcionários.

Ainda no mundo dos negócios estão aqueles que fazem uso de drogas como Donepezil, que é usado para reduzir a perda de memória, característica do mal de Alzheimer. Testes em pilotos provaram que essa droga aumenta a precisão e o poder de reação em manobras complicadas. Assim, os “turbinados” se drogam para conseguir vantagens sobre os limites de seus corpos e mentes. O que mais impressiona, é que tudo isso é feito de forma ilegal, pois são medicações com venda sob prescrição médica...

Os “turbinados” buscam regular a atenção, aumentar a percepção, o aprendizado, a memória recente, a memória de fundo, a capacidade de tomar decisões, e a linguagem. Os indivíduos saudáveis que usam drogas psicoativas estão tomando conta das raias da vida moderna, buscando ultrapassar seus limites para alcançar mais e mais “sucesso”. Essa prática seria equivalente ao doping dos atletas.

Chegamos a um momento em que o estresse e a falta de tempo são os obstáculos de uma vida que se deseja conquistar. Contraditoriamente, o trabalho de muitos não está fazendo-os chegar ao sucesso, mas levando-os a solidão e a morte. A qualidade de vida de muitos executivos e homens de negócios é péssima, e tem sido questionada diante do preço que pagam para alcançar esse “sucesso”. Os modelos de gestão têm sido questionados sob a ótica de uma vida mais equilibrada, valores saudáveis, espiritualidade, relacionamentos maduros e duradouros, e realização mais coletiva.

As pessoas estão percebendo que até para competir no mercado elas precisam treinar e cuidar mais de si, pois não se chega a lugar nenhum sem a prática de valores morais, espirituais. Todo treinamento leva tempo, suscita esforço, pede sacrifícios, mas leva ao hábito de ser feliz e descobrir o propósito maior de nossas vidas. E para ser feliz não existe doping.

Para chegar ao verdadeiro sucesso temos que estar bem treinados e tranqüilos.

Qual o seu propósito de vida, afinal? ...Tem certeza?

Boa corrida!